top of page
  • Vinho Magazine

Vinícola Salton reduz 99% dos herbicidas em seus vinhedos

Empresa aposta em melhores usos para os resíduos, embalagens mais sustentáveis e logística reversa para impulsionar boas práticas no setor


Divulgação Salton
Divulgação Salton

A Família Salton - mais antiga vinícola em atividade no Brasil e líder nacional do segmento de espumantes desde 2005 - tem atuado cada vez mais orientada pelas demandas de sua Jornada Consciente. A marca tem investido na otimização dos recursos naturais, preservação da biodiversidade e implementação de boa conduta do uso da terra para, assim, reduzir o impacto no meio ambiente.


O projeto desenvolvido pela UFSM com o apoio da Salton foi a Cartilha “amostragem e recomendação de adubação para vinhedos da campanha”. Esse estudo auxiliou a empresa na compreensão do bioma pampa, como por exemplo, melhorias na implementação de boas práticas do uso do solo. Um exemplo é a utilização do azevém que permitiu a redução do uso de herbicidas em 99% na Azienda Domenico. De acordo com o estudo, descobriu-se que o Azevém (um tipo de gramínea) pode agir como um herbicida natural, uma vez que seu ciclo coincide com o mesmo período vegetativo da videira, suprimindo o desenvolvimento das plantas daninhas.


Além disso, a qualificação em todas as etapas de processos produtivos da Vinícola Salton está atrelada às diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (cadeia produtiva), onde a marca procura praticar as melhores técnicas de segregação, armazenamento e transporte dos resíduos sólidos, trabalhando em conjunto com fornecedores habilitados que os designam a um tratamento mais sustentável. Através do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento, a Salton investe em projetos que darão automatização do campo aos processos produtivos; em ciência de dados; na fermentação inteligente de espumantes (aplicação exclusiva da Família Salton nesse processo que conta com o sistema Parsec - automático e autônomo de controle de elaboração de espumantes) entre outros. Cada projeto carrega a tecnologia e a inovação para manter a qualidade centenária da produção, a partir do conceito de viticultura 4.0.


A geração de resíduos orgânicos (como bagaço e engaço) resultante do processamento da uva nas unidades de Bento Gonçalves e, também, o Lodo gerado - em Bento Gonçalves - no processo de tratamento de efluentes são destinados para o sistema de compostagem que representa cerca de 80% de toda a geração de substratos da Salton. Já os resíduos orgânicos de Santana do Livramento são dispostos em solo e esse processo de incremento no solo é para os resíduos que possuem aplicação em solo, representando 8% do total de geração de resíduos, uma vez que o incremento da matéria orgânica melhora as características físicas e reduz a quantidade necessária de aplicação de nutrientes na videira.


Embalagens mais sustentáveis e logística reversa

Nos últimos três anos, o investimento da Salton em programas voltados à logística reversa, sustentabilidade e combate ao consumo ilegal gerou um valor superior a R$3,5 milhões. Assim como a preocupação com a produção na terra, a Salton mantém um programa de logística reversa que se refere aos resíduos gerados pós consumo.


A Salton é associada da Abrabe (Associação Brasileira de Bebidas) e conta com os projetos como o Glass is Good, programa de logística reversa de toda a cadeia produtiva do vidro, contando com o apoio de restaurantes, bares e demais estabelecimentos, além dos pontos de entrega voluntária (PEVs), e o Ecogesto, um programa que atua no desenvolvimento e engajamento de cooperativas e associações de catadores.


A quantidade dos resíduos gerados em 2022, a empresa encaminhou para a correta disposição final aproximadamente em 119,82t de papel/papelão, 83,44t de plástico, 126,08t de vidro, 48,85t de metal, 189,22t de madeira, 1.531,63t de lodo de tratamento de efluentes, outros perigosos (2,53t), outros não perigosos (41,95t) e 2.845,87t de resíduos de uva (bagaço, engaço, etc) e os destinos dos resíduos foram aterros sanitários (9,08t), compostagem (3.984,29t), coprocessamento (26,45t), disposição em solo (399,83t) e reciclagem (569,74t).

Comments


bottom of page